Título: Saiba o que a dança do ventre provoca no seu corpo

Autor(a): Redação Terra Mulher
Data: 09/dez/2001
Descrição: O texto é quebrado em três partes. O primeiro aborda auto-estima, prazer e sensualidade. 
O segundo, cita 9 benefícios da dança do ventre. O terceiro e último, conta um pouco da história e menciona alguns dos instrumentos e adereços usados durante a dança.
Comentários: A junção dos 3 textos é um bom resuminho da dança do ventre. Aborda um assunto interessante que são os benefícios para as adolescentes durante a puberdade. Não cita fontes, mas ao longo das matérias entrevista professoras e alunas.
Estatística: 21 parágrafos, 69 linhas, 689 palavras
Abrirver texto puro
Baixar: 



Dança do ventre melhora a auto-estima e o prazer 

Magia, mistério, beleza e sensualidade. Esses são alguns dos ingredientes que fascinam as mulheres e as levam a praticar a dança do ventre, uma arte milenar que está se tornando a onda do momento depois que a novela O Clone, da Rede Globo, começou a mostrar cenas do Marrocos e festas animadas pela dança. Para alguns, a dança desenvolve a auto-estima e melhora o prazer.
As escolas e academias de Belo Horizonte (MG), por exemplo, nunca receberam tantos telefonemas de mulheres procurando saber um pouco mais sobre as aulas. "Muitas dizem que sempre tiveram vontade de fazer, mas que depois da novela tomaram coragem e decidiram", conta a professora Amany Ab-Haila. Envolvida com a dança do ventre há seis anos, Amany diz que é clara a diferença das mulheres, sejam jovens ou já mais maduras, meses depois de pra ticarem a dança. "Elas começam a se ver diferente, se descobrem, ficam mais seguras e fazem as coisas lá fora com mais prazer", afirma Amany.
Para as mais jovens, saindo da adolescência, a dança do ventre tem se mostrado uma verdadeira descoberta para o desenvolvimento da auto-estima e da desenvoltura. Letícia Drumond, 15 anos, faz aulas há quase um ano e garante que, para ela, as mudanças são mais psicológicas do que corporais. "A dança do ventre está ajudando a despertar a minha auto-estima. Faz me sentir mais bonita, mais feminina", afirma Letícia, que é descendente de libaneses e sempre teve o gosto pela dança, desde criança.
Para a estudante Paula Beatriz Barbosa Campos, 16 anos, a tranqüilidade para o corpo e a mente é o maior benefício da dança do ventre. "É uma sensação de relaxamento muito grande. Até mesmo minhas cólicas menstruais diminuíram, porque trabalha muito a região do abdômen", conta Paula. Renata Benedetto, 23 anos, estudante de Educação Artística, também se fascina pela história da dança do ventre e a cultura árabe. Além disso, diz que a prática da dança a faz se sentir muito bem com seu corpo.
Quem pratica a dança do ventre garante que ela trabalha a sensualidade da mulher, mas sem apelações. "É uma dança exótica, tanto pela roupa que se usa, a maquiagem, os movimentos. É uma sensualidade que desperta o charme da mulher. Não é sexualidade, nem erotismo", alerta Amany Ab-Haila.

Saiba o que a dança do ventre provoca no seu corpo 

Desenvolve a auto-estima;
Estimula a memória, a concentração e a atenção;
Aumenta a confiança no seu potencial individual; 
Resgata a feminilidade;
Ativa a circulação, aumenta os reflexos e alivia as tensões;
Aumenta a flexibilidade e alongamento;
Auxilia em problemas menstruais, hormonais e partos, diminuindo cólicas, equilibrando as funções sexuais e facilitando contrações e dilatações;
Trabalha músculos, enrijecendo e tonificando;
Atua diretamente no centro de energia do corpo, que se encontra no ventre, distribuindo a mesma de forma equilibrada.


Dança do ventre era um ritual privado 

As origens da dança do ventre se perdem no tempo. Alguns historiadores apontam entre 7.000 e 5.000 antes de Cristo. Acredita-se que ela era praticada nas antigas civilizações como a suméria, acádia, babilônica e egípcia. No Egito a dança era realizada por sacerdotisas treinadas desde meninas para servirem como canal da deusa nos rituais religiosos.
A dança do ventre era realizada somente em templos, mas com o passar do tempo começou a fazer parte de grandes solenidades públicas nos palácios, o que fez com que ela se popularizasse. Com a invasão árabe muçulmana no século VII, ocorreu uma miscigenação de culturas e a dança se espalhou pelo resto do mundo, através dos viajantes e mercadores.
A dança do ventre sempre foi uma celebração à vida. Os seus movimentos são inspirados nos animais, como camelos e cobras; nos quatro elementos, terra, fogo, água e ar; e em toda a natureza. A mulher, que é a intérprete desta arte milenar, deve transmiti-la com amor e respeito.
A dança pode ser feita utilizando-se instrumentos como espada, véu, bengala, snujs (como castanholas de metal), punhal, candelabro, jarro, taças e pandeiro. Os principais instrumentos musicais utilizados na apresentação eram a flauta, o clarinete duplo, o oboé duplo e a trombeta.


fonte: