Título:     BENEFÍCIOS DA DANÇA DO VENTRE APÓS A GRAVIDEZ
Autor(a):  Redação Sempre Materna
Data:       09/09/2007
Descrição: Fala sobre os efeitos do parto sobre o corpo da mulher. Explica como a dança do ventre se adequa ao pós-parto, 
como e quando está deve ser iniciada. Por fim, explica os efeitos benéficos da dança do ventre para a mulher.
Comentários: Entra um pouco em aspectos técnicos, porém não explica as razões dos benefícios. Texto agradável e de leitura fluida. 
Aborda um pouco o lado terapeutico da dança do ventre e seu impacto no feminino.  Não cita fontes.
Estatística: 13 parágrafos, 55 linhas, 588 Palavras





Com a gravidez, o corpo da mulher sofre um verdadeiro bombardeio hormonal. As alterações ocorrem em ritmo alucinante, são inúmeras e constantes.
Tudo isso deve ser encarado com descontração e alegria. Estar grávida, gerar e dar a luz, é pura força da natureza – é êxtase, vida!

Depois, do bebezinho em mãos, queremos tudo de volta no lugar certo. O período do puerpério, também conhecido como pós-parto ou resguardo dura em torno de seis a oito semanas e só termina com o retorno das menstruações. Nele a mulher experimenta ainda muitas modificações, tendendo a voltar ao estado que a caracterizava antes da gravidez.

Em nenhuma outra fase da vida modificações físicas tão grandes acontecem em tão curto espaço de tempo. Todos os órgãos, principalmente os genitais, se recuperam das alterações ocorridas ao longo da gravidez e do parto, e nessa fase se inicia a lactação. Além disso, importantes modificações psicológicas ocorrem também.

Tenha calma! Este é o tempo de que o organismo da mulher precisa para se restabelecer naturalmente voltar à forma física. Exercícios de flexão e extensão dos pés, pernas e coxas, assim como massagens nessas regiões devem ser realizadas, com a finalidade de ativar a circulação sanguínea.

Logo após o parto todas as articulações do corpo da mulher encontram-se abertas e relaxadas, ainda sob efeito dos hormônios que atuaram para propiciar a gestação e passagem do bebê. Um período de descanso e repouso é indicado. Nenhum movimento brusco ou que suponha força física deve ser realizado.

Dançando

A “mágica dança do ventre” é a terapia perfeita para auxiliar a mulher neste momento. Desenvolvida por nossas ancestrais em sociedades matriarcais, essa dança contém uma sabedoria intrínseca do feminino que pode, e deve acompanhar a mulher em seus diferentes ciclos de vida e funções. Ela revaloriza o feminino, enaltece suas qualidades e formas.

A dança do ventre com suas sinuosidades é extremamente suave. É como uma massagem, um carinho para o corpo da mulher, que de forma lúdica e tranquila, massageia também a autoestima enquanto a pratica.

Os exercícios para a musculatura podem ser iniciados no dia seguinte ao parto, realizados com a devida moderação, e praticados por toda a vida. Eles reforçam a sustentação da bexiga e do intestino, fortalecendo a vagina e diminuindo o risco do aparecimento futuro de problemas como incontinência urinária ou queda da bexiga. Na dança do ventre, estes exercícios estão associados a vários passos e movimentos. Ponha uma música suave, e deitada pratique pequenas contraindo e relaxando a musculatura da vagina e assoalho pélvico. É um ótimo começo.

Benefícios

As grandes ondulações e todos os movimentos corrigem a flacidez abdominal e o contorno corporal. Traçando formas femininas, afinam a cintura e tonificam os músculos do abdômen e os órgãos internamente. Pode ser iniciada sua prática após duas semanas do parto normal, aos poucos, até atingir 20 a 30 minutos diários. No caso de parto cesariana, seu início deve aguardar em torno de seis semanas.

A dança do ventre propriamente dita, pode melhorar muito suas condições musculares gerais, tonificar glúteos, pernas e abdômen, trazer conforto, flexibilidade e leveza. A postura também será amplamente beneficiada. Os suaves movimentos de ondas que percorrem a coluna vertebral massageiam suas articulações e ajudam a reencontrar o equilíbrio.

O apoio dos pés no chão e o intenso movimento do quadril constroem uma sólida base, trazendo segurança e estabilidade para a mulher praticante. A mulher que dança reintegra sua feminilidade. Torna-se, além de saudável, alegre e plena, trazendo ao mundo o verdadeiro feminino profundo e poderoso, tão fascinante e almejado.