O primeiro vídeo de dança do ventre da história - Little Egypt - Fatima Djamile

Este é o filme original de Thomas Edison (censurado aos 0:32), mostrando os quadris mais escandalosos do século XIX. A faixa de censura foi uma concessão para garantir a rentabilidade e evitar a recusa da distribuição por parte dos proprietários do estúdio Kinetoscope, temerosos das repercussões por parte dos moralistas da época. Historiadores consideram que este foi o primeiro filme ser censurando.
Dança “Couchee-Couchee” de Fátima, também conhecida como “dança do músculo”.
Thomas A. Edison / Black Maria Studio 1896 (Kinetographic Theater)
Diretor: James H. White
Câmera: William Heise







Trecho do filme Latcho Drom rodado no Egito

Apesar da origem controversa, é consenso (ou quase) que a primeira dispersão do protótipo do estilo que daria origem à dança oriental árabe foi feita pelos ciganos. Saindo do norte da índia, esse povo foi semeando seu estivo musical por onde passava, misturando-se com os estilos locais e lançando as bases de muitas modalidades de danças que conhecemos hoje, com especial destaque ao flamenco e à dança do ventre. 

Nesse trecho do filme, é mostrada a dança oriental árabe em seu estado bruto, cru, natural, despido da ocidentalização. A música e dança se agigantam, ganhando um significado muito maior dentro do seu contexto original. Dizem que o observador altera tudo aquilo que observa pelo simples fato de observar, o que provavelmente é verdade. Porém, as cenas que vemos, é o mais próximo que podemos chegar daquilo que um dia foi a “dança do ventre”.




Sobre o filme Latcho Drom


Latcho Drom (viagem segura) é um documentário francês de 1993, dirigido e escrito por Tony Gatlif. O filme é sobre a jornada dos povos Romani, do noroeste da Índia até a Espanha, consistindo principalmente de música. O filme, exibido na seção “Un Certain Regard” no Festival de Cannes de 1993, descreve as migrações, canções e danças dos grupos Romani da Índia, Egito, Turquia, Romênia, Hungria, Eslováquia, França e Espanha. Algumas passagens são encenadas, porém não há diálogo nem narração.

O filme ilustra a variedade de condições em que vive o povo cigano, nômades nos desertos quentes da Ásia, ferreiros pobres e moradores de árvores nas planícies congeladas da Europa Oriental, artesãos e comerciantes na região costeira e colinas da África do Norte e Europa Ocidental. Ele também ilustra as semelhanças nos hábitos de viagem, nas melodias e temas musicais.

A jornada se passa ao longo de um ano, passando iniciando pelo verão, pelo outono e inverno e terminando na primavera. Gatlif mantém sua câmera no essencial e elementar da vida: água, a roda, fogo, animais de carga e de sustento, roupas coloridas, joias, instrumentos musicais, música e dança. Por toda parte, através de música e dança, jovens e velhos celebram, encarnam e ensinam os valores culturais da família, da viagem, do amor, da separação e da perseguição.

O filme inclui músicas do grupo romani, Taraf de Haïdouks, Tchavolo e Dorado Schmitt, entre outros, originários da Romênia.

Tony Gatlif (nascido como Michel Dahmani em 10 de setembro de 1948 em Argel, Argélia) é um diretor de cinema francês de etnia romani que também trabalha como roteirista, compositor, ator e produtor.


Vídeo do YouTube